terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Entrevista a Nuno Meireles

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014
Esta semana o nosso convidado é Nuno Meireles, um escritor do Norte, É licenciado em Engenharia Informática e Mestre e Doutorando em Sociologia.
Agradeço ao Nuno a simpatia e disponibilidade com que respondeu às minhas perguntas.

HT: Para começar, como é que alguém licenciado em Engenharia Informática começa a escrever romances?
Nuno Meireles: (Risos) Que eu saiba não há nenhum curso que impeça alguém de escrever romances… a escrita surgiu na minha vida muito por culpa pelo hábito de leitura que sempre tive e em especial a partir da minha adolescência. Gosto muito de ler.

HT: O seu primeiro livro, “A Vida e Eu”, é um romance autobiográfico. Escrevê-lo funcionou como uma espécie de terapia?
Nuno Meireles: Sem dúvida que essa foi a principal tarefa do livro “A Vida e Eu”. Serviu para deitar cá para fora as angústias que a vida me tinha dado até então e ao mesmo tempo abstrair dos problemas que estava a viver no tempo em que escrevi o livro.

HT: O que mudou na sua vida depois do lançamento dos livros? 
Nuno Meireles: Os livros trouxeram-me muitas coisas novas – tanto boas como menos boas –. É claro que sendo eu uma pessoa que tenta pensar sempre positivo, só vou falar das coisas boas. 
Para começar, foi graças aos livros – mais precisamente a minha segunda obra editada: “Duas vidas, um destino” – que conheci o amor da minha vida, a minha amada Diana. Depois tive a oportunidade de viver coisas que eu jamais pensaria viver, é o caso da ida a programas da televisão e aparecer em reportagens de programas televisivos de informação. Finalmente, destaque para o conhecer de novas pessoas – algumas das quais ficaram amigas – e de percorrer muitas terras do Norte e Centro do país.

HT: Os seus livros são edições de autor. Foi uma escolha pessoal ou não conseguiu o apoio de nenhuma editora?
Nuno Meireles: Podemos afirmar que foram as duas opções. Primeiro, as editoras que eu conseguia arranjar “obrigavam-me” a pagar parte da edição. Como tal, e pagar por pagar, prefiro ser eu a editar e ter um maior retorno financeiro com as obras. É certo que tal decisão limita-me em vários aspetos: desde já na parte logística, sendo edição de autor é certo que as minhas obras não chegam a um maior número de possíveis leitores por causa da divulgação da obra. É garantido que em termos de exemplares editados, o número que eu mando imprimir é exatamente o mesmo do que as editoras referidas anteriormente me propunham. 
Para fazer chegar as minhas obras o mais longe possível tenho apostado na melhor maneira de se dar a conhecer qualquer coisa, o passa a palavra. Os meus amigos transmitem a sua opinião aos seus amigos e por aí em diante… naturalmente que também tenho apostado forte nas apresentações públicas em especial nas bibliotecas municipais deste país.

HT: Como se tratam de edições de autor, como podemos fazer para os adquirir?
Nuno Meireles: Quem estiver interessado em adquirir um exemplar basta visitarem o meu espaço na Internet – www.nunomeireles.net – verem lá o meu endereço de correio eletrónico que eu depois explico os passos seguintes para fazer chegar o exemplar às mãos dos interessados. Podem também estar atentos à agenda de eventos – também inserida no sítio da Internet – por onde vou andar e aparecerem num deles. Assim também têm oportunidade de me conhecerem pessoalmente e até privarem um pouco comigo. Fica aqui o convite!

HT: Para terminar, já pensa num próximo livro? Se sim, quer levantar a pontinha do véu?
Nuno Meireles: Pairam algumas ideias no ar (risos). Desde criar uma nova história com um cariz mais histórico, que será um grande desafio para mim se levar para a frente essa ideia; ou até continuar a estória e a história das personagens de um dos livros anteriores; as minhas duas últimas obras permite-me fazer isso sem problema algum. Principalmente a segunda obra editada, pois a forma como o livro terminou permite-me dar continuidade ao enredo. Mas é muito cedo para se falar em livro novo quando ainda tenho em mãos um bebé com dois meses de vida. Primeiro tenho que divulgar e fazer com que as pessoas adquiram o meu último romance “Amar Depois de Amar” e só daqui a dois/três anos é que poderemos falar em livro novo. Porém não ponho de lado que possam existir surpresas entretanto… :-)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Histórias Transmitidas © 2014