terça-feira, 4 de março de 2014

Entrevista a Henrique Pereira

terça-feira, 4 de março de 2014
Esta semana ficamos a conhecer um bocadinho mais de Henrique Miguel Lopes Pereira, a quem agradeço desde já esta entrevista.

HT: Tem cinco livros publicados. Como é que surgiu a ideia de escrever?
Henrique Pereira: É uma ideia já bastante antiga. Creio que todos nós temos necessidade de escrever e de partilhar com os outros, mensagens, ideias, sentimentos, reflexões… Depois, como estou ligado ao ensino é algo que se torna familiar, que faz parte do nosso dia a dia. Um dia sem escrever, não é um dia normal! Escrever é também algo de maravilhoso que nos permite escapar de uma realidade por vezes difícil. Também nos permite alertar para os perigos desta realidade.

HT: A escolha do público-alvo infantil teve alguma coisa a ver com o facto de estar ligado ao ensino?
Henrique Pereira: Claro, sem dúvida! Considero-me um privilegiado por trabalhar com crianças e por ajudá-las a crescer pessoal e socialmente! Afinal, ser professor não é apenas transmitir conhecimentos. É uma missão que vai muito para além disso. Penso que a transmissão de valores e a partilha de experiências e vivências são imprescindíveis para a nossa plena realização como profissionais ligados ao ensino. Infelizmente, nem sempre é reconhecido o nosso esforço! Penso que este público ainda olha para os livros e para as suas histórias com uma ingenuidade e magia que apenas ele possui. Com os adultos, a história é outra. No entanto, não quero dizer que as crianças não são críticas e que não reparam no pormenor. Muito pelo contrário, é um público muito exigente e que não tem receio de dizer o que pensa (vertente que nós adultos, vamos perdendo ao longo da vida).

HT: O processo de edição foi fácil?
Henrique Pereira: Trata-se de um processo muito complexo. São dadas oportunidades aos jovens escritores, é verdade, mas nem tudo é fácil. Pois, trata-se de um negócio e quando assim é, as coisas complicam-se! Saliento no entanto, que também não é possível publicar o trabalho de todos os escritores. Hoje em dia, considero que existe muito talento na escrita e que, quase diariamente, aparecem trabalhos fantásticos.

HT: O que mudou na sua vida depois da edição do primeiro livro?
Henrique Pereira: Para ser sincero, pouco ou nada mudou. Apenas sinto um enorme prazer e orgulho quando partilho os meus trabalhos com as crianças. Gosto imenso de discutir algumas temáticas que abordo com os meus alunos e de ouvir as suas interpretações e críticas que felizmente, têm sido muito positivas ao longo destes anos. Também sinto uma grande satisfação quando as minhas filhas lêem os meus livros ou os levam para a escola. Como escritor, estas minhas andanças permitiram-me contactar de mais perto com alguns escritores muito conceituados onde, junto deles pretendo aprender.

HT: Esta pergunta já se tornou um cliché nas entrevistas, mas não posso deixar de a fazer: Tem planos para publicar mais livros?
Henrique Pereira: Se tenho! E muitos! Alguns trabalhos aguardam serenamente na gaveta pela sua oportunidade. Espero em breve poder concretizar alguns. Seria ótimo. Porém, não tenho pressa. Acho esta atividade exige paciência, dedicação e muito carinho. Quando o momento chegar, cá estarei com o mesmo empenho para mostrar um pouco mais de mim e das minhas histórias.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Histórias Transmitidas © 2014