terça-feira, 27 de maio de 2014

Entrevista a Marta Silva

terça-feira, 27 de maio de 2014
Esta semana retomamos a rubrica entrevistas com Marta Silva, autora do livro "Quero Ser Feliz".

HT: É inevitável começar com esta pergunta: Como é que surgiu a ideia de publicar um livro?
Marta Silva: Desde muito nova adquiri o gosto pela leitura e, mais tarde, pela escrita. Talvez tenha sido pela forte influência da minha mãe.
Na primária, trocava a brincadeira por livros. Quando um escritor visitava a escola, para mim, era um importante acontecimento. Eu associava um escritor a uma pessoa completamente diferente de mim. Olhava-o como alguém quase irreal que me impressionava.
Os livros andavam sempre comigo, assim como as folhas que andava a escrever. Era quase impossível sair de casa sem levar um livro ou uma folha de papel e um lápis, mesmo sabendo que não iria ter tempo de ler ou escrever. Era como se me sentisse mais segura. 
Passei por uma fase difícil da minha pré-adolescência que tornou a escrita uma enorme necessidade e foi nessa fase em que guardo mais textos. Encarava a escrita como um refúgio do mundo real, imaginando e criando os meus próprios mundos, as minhas personagens.  
Comecei então, por entregar um desses textos a uma professora que já me tinha colocado a ideia de escrever um livro, e que me desse a sua opinião. Foi uma opinião muito positiva e depois dessa professora, outras vieram ter comigo a perguntar se era possível lerem também um dos meus textos. Nessa altura, ainda tinha uns 13 anos. Era muito nova e sinceramente, não fazia a mínima ideia de como poderia editar um livro.

HT: O processo de edição de foi fácil ou complicado?
Marta Silva: Foi precisamente nesse verão que comecei a pesquisar na net editoras que pudesse enviar um dos textos que mais gostasse. Não contei a ninguém, nem mesmo a minha mãe sabia, para o caso de correr mal, ninguém ficaria a saber. Enviei o mesmo texto a inúmeras editoras portuguesas. Muitas mesmo. Passei uma semana a roer-me de ansiedade para saber as respostas. Desde editoras menos conhecidas, às mais conhecidas, todas elas estavam dispostas na publicação desses textos, elogiando a escrita e o facto de ser tão nova. A partir daí, foi escolher a editora com a melhor proposta de publicação. Foi um processo bastante trabalhoso, porque era preciso corrigir textos, revê-los várias vezes com prazos de entrega e todas as outras fases normais da publicação de um livro. Finalmente, o lançamento da obra foi realizada no dia 13 de Julho de 2013 na biblioteca municipal de São Domingos de Rana. 

HT: O que mudou na sua vida depois da edição do livro?
Marta Silva: A publicação do livro foi, sem dúvida, a concretização de um sonho. Este acontecimento fez-me reencontra-me com pessoas que já tinha perdido contacto e aproximar-me mais de outras. 
O facto de ter conseguido realizar este sonho, fez-me ver que tudo é possível com empenho e dedicação.

HT: Para quem, como eu, ainda não teve oportunidade de ler o seu livro, quer falar-nos um bocadinho sobre ele?
Marta Silva: O meu livro conta a história de duas irmãs gémeas, Filipa e Leonor, que foram abandonadas num orfanato. Ali passaram a sua infância sem conhecer outra realidade senão aquela. Infelizmente, um incidente leva-as a obrigar a deixar a que tinha sido a sua única casa e partir para outro lugar, sozinhas. Mais tarde, um reencontro com um amigo de infância faz tudo mudar. 
Ambas procuram a felicidade e respostas ás suas perguntas. A história das gémeas é deixada com estas já adultas, com os seus filhos e namorados. 

HT: Imagino que, além da paixão pela escrita, também goste de ler. Quais os seus escritores de referência?
Marta Silva: Gosto de ler de tudo um pouco, exceto banda desenhada. No entanto, é verdade que tenho os meus autores de referência. Atualmente, o meu autor de eleição é Carlos Ruiz Záfon. Sou apaixonada pela sua escrita e pelos mundos que cria para as suas histórias. 
Quando era mais nova, recordo-me de ter lido A Lua de Joana e Voa Comigo! ,dois livros de Maria Maia Gonçalez que adorei ler em criança e nunca me irei me esquecer. Mais recente e sem contar com os livros do meu escritor preferido, adorei o livro Segredos do Passado de Deborah Smith. 
Neste momento, estou a ler O retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde que por sinal, estou a gostar imenso.

HT: Para finalizar, outra pergunta habitual: já pensa num novo livro ou ainda está a “aproveitar este”?
Marta Silva: A minha ideia é continuar a escrever e que este livro publicado seja o primeiro de muitos. Na verdade, tenho algumas ideias para uma nova história e até já comecei umas linhas! 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Histórias Transmitidas © 2014