quarta-feira, 25 de junho de 2014

Entrevista a Francisco Salgueiro

quarta-feira, 25 de junho de 2014
Esta semana, excepcionalmente, publicamos duas entrevistas. Hoje é a vez de Francisco Salgueiro que acabou de publicar "Estou Nua, E Agora".
Muito Obrigada ao Francisco pela entrevista.

HT: O Francisco, além de livros, escreve artigos de opinião, conteúdos para televisão e outras coisas mais. Ainda se lembra como surgiu este gosto pela escrita? 
Francisco Salgueiro: Surgiu de forma muito natural. Quando estava na TV Cabo a criar o Gabinete de Comunicação, e alguém tinha de escrever artigos e só havia eu. Comecei a escrever, as pessoas gostaram e a partir daí fui tentando ir o mais longe possível. Não sou de ficar de braços em baixo quando vejo que uma determinada área pode estar a funcionar. 

HT: De todos os livros que publicou até agora, consegue eleger o que lhe deu mais prazer a escrever? 
Francisco Salgueiro: Tão complicada essa pergunta. É mais ou menos perguntar que filho prefere. Tal como os pais, há alturas que preferem uns e outras alturas preferem outros. E ainda há aqueles momentos em que gostam de todos por igual. É exatamente isso que me acontece. Adorei ter escrito O Homens Há Muitos e ao ser o primeiro tinha 360 de possibilidade para escrever. Gostei tb muito dos Fins da Inocência, um género tb diferente. E a Praia da Saudade foi o único livro, escrito por mim, que chorei na parte final várias vezes e já sabia o que ia acontecer. Por isso é difícil selecionar um. 

HT: Não tenho por hábito focar-me em nenhuma obra especial durante as entrevistas, mas no seu caso não posso deixar de lhe perguntar: Como foi acompanhar a jovem que deu origem ao livro “O Fim da Inocência”? Depois de receber os emails e quando decidiu escrever sobre ela, começou a frequentar os mesmos locais? Acompanhava-a? Fale-nos um bocadinho desta aventura. 
Francisco Salgueiro: Para mim foi uma coisa perfeitamente banal. Encontrei-a a ela e aos amigos na noite. Depois combinámos todos uma saída. Depois saí com ela. Depois houve trocas de mails. Mais umas saídas. Viver aquilo de forma pontual não parece tão assustador como está no livro, porque obviamente teve de ser condensado por questões de falta de espaço. 

HT: Acabou de lançar o livro “Estou Nua, e Agora”. Ainda não li mas, na sinopse há uma expressão que me ficou: “Há pessoas que cometem erros por se acomodarem e outras que cometem erros por tentarem. A Alex preferiu errar tentando.” E o Francisco? 
Francisco Salgueiro: Eu prefiro errar tentando. Mas é óbvio que às vezes cometo erros por me acomodar. O que interessa é que nos apercebamos disso e não tornemos a fazer o mesmo. Nós somos os únicos prejudicados. 

HT: Gosta de ler? Em caso afirmativo, quais são as suas referências literárias? 
Francisco Salgueiro: Gosto de ler. Brett Easton Ellis no seu auge. 

HT: Bem sei que acabou de publicar este livro, mas não posso deixar de lhe fazer a pergunta da praxe: já tem planos para um próximo livro? 
Francisco Salgueiro: Para já ainda não.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Histórias Transmitidas © 2014