segunda-feira, 28 de julho de 2014

Entrevista a Filipa Fonseca Silva

segunda-feira, 28 de julho de 2014
Esta semana entrevistei Filipa Fonseca Silva, a primeira autora portuguesa a entrar no Top 100 da Amazon.
Vamos ficar a conhecer um bocadinho mais da Filipa, a quem agradeço desde já a disponibilidade e simpatia com que acolheu o meu pedido de entrevista.
Também podem acompanhar a Filipa através do seu blog: http://cronicasdumafashionvictim.blogspot.pt/

HT: Para começar, a já habitual primeira pergunta nas minhas entrevistas: Como é que surgiu este gosto pela escrita?
Filipa Fonseca Silva: Surgiu assim que aprendi a escrever. Já adorava livros desde muito pequenina e quando percebi que também podia escrever as minhas próprias histórias, nunca mais parei.

HT: A Filipa foi a primeira portuguesa a entrar no Top 100 da Amazon. O que mudou na sua vida depois disto?
Filipa Fonseca Silva: Em primeiro lugar ganhei alguma notoriedade, o que fez com que tivesse mais leitores no blog, mais seguidores nas redes sociais e mais pessoas à procura dos meus livros nas livrarias. Em segundo lugar, levou a que a Bertrand me contactasse com a proposta de publicar o meu segundo livro, o que me deixou bastante lisonjeada.

HT: Acabou de publicar o segundo livro: O Estranho Ano de Vanessa M. Quer falar-nos um pouco sobre ele?
Filipa Fonseca Silva: Este segundo livro é sobre uma mulher que tem um pequeno esgotamento nervoso, fruto do acumular de frustrações com vários aspectos da sua vida: um casamento prematuro, um emprego pouco gratificante, uma carreira que acabou por abraçar, mais por pressões externas do que por vocação, uma vida social quase inexistente. Durante um ano,  Vanessa é empurrada para uma série de episódios que a levam a questionar todas essas escolhas e a fazer mudanças drásticas, em busca de um final feliz.

HT: Sei que a primeira publicação deste livro foi uma edição de autor. Porquê esta escolha?
Filipa Fonseca Silva: Na altura a Oficina do Livro, que publicou o meu primeiro livro “Os 30 - Nada é como Sonhámos”, por diversas razões optou por não publicar o segundo. Como eu tinha a certeza de que era um bom livro e que os leitores iam gostar, arrisquei na edição de autor no formato digital. Revelou-se uma aposta certeira com óptimas críticas por parte dos leitores e bloggers. Mas claro que quando a Bertrand se mostrou interessada, não pude recusar: a exposição e o prestígio que uma grande editora proporciona é inigualável.

HT: Presumo que, além da escrita, também goste de ler. Quais os seus escritores de referência?
Filipa Fonseca Silva: O meu coração divide-se entre Eça de Queirós e José Saramago. Mas também gosto muito de autores estrangeiros como Isabel Allende, Margaret Atwood, David Lodge, Garcia Marques ou Jorge Amado. 

HT: Para terminar, já tem outros projectos literários em mente?
Filipa Fonseca Silva: Sim, neste momento estou a preparar um livro de crónicas, que se tudo correr bem deverá ser lançado no início do próximo ano. Também estou a começar a assentar ideias para o terceiro romance, mas ainda estou numa fase muito embrionária.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Histórias Transmitidas © 2014