quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Entrevista a Rolando Rebelo

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014
Esta semana o meu convidado para a rubrica Entrevistas é Rolando Rebelo, que acabou de publicar "Aqui Xutos & Pontapés”, e a quem agradeço desde já esta entrevista.
Vamos ficar a conhecer um pouco mais deste fã de musica que já vai no segundo livro dedicado a este tema.

HT: Lançou o seu primeiro livro, “Rolling Stones em Portugal” em 2012. Como surgiu a ideia desta obra?
Rolando Rebelo: A ideia surgiu-me como uma forma de retribuição por tudo aquilo que os Stones contribuíram para a minha vida, pela musica, pelos momentos dos muitos concertos que assisti, enfim por tudo que me deram desde os meus 13 anos, idade que os descobri através do videoclip Emotional Rescue. Amor com amor se paga

HT: Pode falar-nos um bocadinho sobre este livro?
Rolando Rebelo: O livro em mente, teria de ser algo que eu como fã quisesse ler, consumir avidamente, uma recolha de informações, factos e acontecimentos, que eu próprio pudesse recorrer em caso de duvida. Fiz o livro como fã, mas a pensar nos fãs como eu. Depois comecei a recolher testemunhos de músicos, jornalistas  fãs portugueses e estrangeiros, e foram 124 no total. Não satisfeito com isso, achei que era altura de contactar a banda, coisa que nunca ninguém tinha feito para um livro não oficial. Ao fim de um ano tinha a banda de apoio quase toda, assim como pela primeira vez, Mick Jagger, Keith Richards, Charlie Watts e Ron Wood escreveram para um livro não oficial, e isso deu-me muito gozo, por ser o primeiro a fazê-lo.

HT: Acaba de publicar “Aqui Xutos & Pontapés”. Porquê um livro sobre os Xutos?
Rolando Rebelo: Foi o seguimento natural. O Zé Pedro foi um dos padrinhos do livro dos Stones, o outro padrinho foi o Nilton. E duma conversa que era suposto durar 30 min durou 3 horas e meia, onde foi falado logo em 2009 a hipótese de fazer o livro dos Xutos, mas primeiro teria de passar o teste dos Stones. E assim foi. Os Xutos funcionam em assembleia onde todos os elementos da banda dão o seu voto. E todos votaram favoravelmente para que fosse eu a fazer o livro dos 35 anos, algo que muito me honra, depois de fazer a melhor banda do mundo, fazer a melhor banda portuguesa de todos os tempos.

HT: O livro tem testemunhos de várias personalidades da nossa sociedade. Quais foram os critérios que usou na escolha dessas pessoas? 
Rolando Rebelo: Precisamente para mostrar que os Xutos não são pertença de um nicho em particular, mas sim de todos, onde não há classes sociais, nem diferenças profissionais nem de idade, mas sim um amor em comum pela musica dos Xutos& Pontapés

HT: Obteve resposta de todos os que contactou?
Rolando Rebelo: Não, mas foram muito poucos. Mas a história, assim como a vida é feita daqueles que entram nela.

HT: O que mudou na sua vida depois da edição do primeiro livro?
Rolando Rebelo: Mudou um pouco. A credibilidade de fazer algo sério abriu me uma serie de portas, nomeadamente no meio musical. Além das intermináveis viagens….que me levam sempre a conhecer uma serie de gente muito interessante, além viver uma serie de experiências que pensava difícil alguma vez vir a acontecer. 

HT: Para terminar, já pensa num novo livro ou ainda está a aproveitar este?
Rolando Rebelo: Ambas as coisas. Isto não para por aqui. Como disse o Jagger If you start me up, I´ll never stop… 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Histórias Transmitidas © 2014